sexta-feira, maio 05, 2006

Verdes Anos

O grande desafio desta Tela, o mais exigente e mais complexo de todos, é o de conseguir conservar, apesar de todas as desilusões e de todas as evidências da falta de fundamento da fé na bondade dos seres humanos, o sorriso aberto, a pureza pueril, a entrega despudorada e a capacidade ilimitada de sonhar dos verdes anos... até ao esvaecer dos dias.
Porque afinal, não há maioridade mais autêntica do que aquela que assume a vida com a simplicidade da infância.

6 Comentários:

Blogger [m.m. botelho] disse...

«as evidências da falta de fundamento da fé na bondade dos seres humanos»

As evidências... as evidências são sempre as dos nossos olhos. E quantas vezes os nossos olhos não vêem as coisas como devem ser vistas? Quantas vezes o que hoje é evidente amanhã é duvidoso para voltar a ser uma certeza no dia seguinte?
O que move o Homem é o desejo de auto-evolução. E para isso a dúvida tem de estar sempre presente. Daí que nada seja evidente e tudo seja sempre incerto. Muito menos no que respeita ao ser humano... e no que vem a ser o "Bom" e o "Belo"...

Mas se há fé, se já houve fé nessa bondade, a fé é imortal. ETERNA.

2:52 da manhã  
Blogger Ana_P disse...

[m.m.botelho], Quantas vezes o que hoje é evidente amanhã é duvidoso para voltar a ser uma certeza no dia seguinte?: ora aí está uma outra forma de constatar a regra da efemeridade da eternidade... regra que, como todas...

8:46 da tarde  
Blogger [m.m. botelho] disse...

A eternidade será mesmo efémera [paradoxo!]? ou será antes uma criação humana e, portanto, finita, imperfeita, falível?

8:50 da tarde  
Blogger Ana_P disse...

A resposta sobre essa "criação humana" dependerá sempre da forma como perspectivarmos a própria natureza humana...

9:03 da tarde  
Blogger aNa disse...

ai! ai! ai!
(é só que me ocorre!!)

6:28 da tarde  
Anonymous manchinha disse...

eu cá gosto adoro mesmo essa da simplicidade da infância que na minha tradução se lê 'quase descuidada delinquência emocional' quando a gente se vê nesta vida com a incomodidade das coisas demasiado sérias olaré

10:53 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Powered by Blogger