terça-feira, abril 25, 2006

Mulher em Branco

Mulher em Branco. Por Rodrigo Guedes de Carvalho

Uma criança desaparece. Estava à guarda do pai. O choque da notícia atira a mãe para um abismo de amnésia. Sem memória, é incapaz de chorar um filho que não sabe que tem.
Como podemos continuar a viver se caminhamos vazios?
E há um homem que arranja uma amante enquanto visita a mulher no hospital. Ladrões que roubam cinzas de uma morta. Há as maldades desumanas do amor, um sopro pérfido que o diabo sussurra aos ouvidos. Em fundo, a irracional violência do divórcio. A bestialidade das palavras que atiramos uns aos outros como pedras. Uma mulher que espera ainda e sempre, à janela. Porque o coração é um bicho e não ouve.
E uma pergunta a que não se ousa responder:

Para onde vão os amores que foram um dia?

... e, apesar de não ousar a resposta, todos os dias se ajoelha perante a sua memória, sussurrando-lhe um Requiem com a mesma Fé com que o disse já aos seus mortos.
Afinal, se se curvou já perante tantos corpos inertes, com a certeza de que a alma continuaria a existir para além daquele momento, como poderia não acreditar na Eternidade dos sentimentos, se de sentimentos, tão só de sentimentos, se alimentam as almas imortais?
E com mais fervor do que aos corpos, dedicava agora, ao seu "amor que fora um dia", as palavras que a todos nos estão destinadas como palavras finais... talvez primeiras:
In Paradisum deducant te Angeli;
in tuo adventu suscipiant te Martyres,
et perducant te in civitatem sanctam Jerusalem.
Chorus Angelorum te suscipiat,
et cum Lazaro quondam paupere,
aeternam habeas requiem.
*


*Levem-te os Anjos ao Paraíso / À tua chegada te acolham os Mártires / E te conduzam à cidade Santa de Jerusalém. / O Coro dos Anjos te receba, / E com Lázaro, outrora pobre, / Tenhas um descanso eterno.

8 Comentários:

Anonymous Chocolover disse...

So sorry, mas só conheço "Woman in red" ...

3:46 da tarde  
Anonymous LemonTea disse...

Branco...

branco, de vazio, sem côr?...
branco, de sem rasgo?...
branco, de inerte?...

ou

Branco, de quem espera que marquem, escrevam, pintem, rasguem?

ou

Branco, de infinitude?

ou Branco, de Luz?

7:27 da tarde  
Anonymous Chocolover disse...

Lemon, passaste-te querida?! ;)

10:46 da manhã  
Blogger Ana_P disse...

Choco, não peças desculpa, ao fim e ao cabo, é sempre só uma questão de tom! ;-)

Lemon, porque prezo muito os meus compromissos com a EDP, acredito convictamente que será sempre branco de luz!

1:37 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Minha prima adorada! Que surpresa tão boa me esperava esta manhã... Que feliz fico por poder ler-te assim, melhor do que nunca. Um abraço muito apertado. Cheio de saudades.

Maria

10:09 da manhã  
Blogger Ana_P disse...

Prima querida,

Quando dos blogs nascem abraços como os nossos, não podemos conceder-nos o direito de calar as palavras, mesmo que elas se calem em nós!
Mil saudades!

2:10 da tarde  
Anonymous Chocolover disse...

Estava esperançada que já tivesse mudado de vestido ...

4:48 da tarde  
Blogger Bixu disse...

"Porque o coração é um bicho e não ouve."

Este andou a citar-me:P

11:16 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Powered by Blogger